Words | A garota que assistiu seu ex se apaixonando por outra pessoa

Nós terminamos por telefone. Quero dizer, ele terminou. Dizia ser novo de mais, que tinha planos de viajar, fazer intercâmbio por causa da faculdade. Eu dizia que iria junto mas ele nunca mencionou um 'vamos'. Depois de um tempo, ele começou a dizer que queria estabilidade profissional. E eu queria conhecer a Finlândia, a Bélgica e a Irlanda por um ano ou mais.

Depois de dois dias sem me responder, me bloqueou de todas as redes sociais. E eu fui seguindo a vida, sabe como é... Vida de adulto não para.

Depois de três meses resolvi olhar novamente a página dele. Continuei bloqueada para ele. Entrei pela página da minha mãe. Minha justificação de estar fazendo isso? Ver se ele tinha conseguido a tal estabilidade profissional. 

E estava lá, em seu perfil, escrachado: a foto de casal. Abraçados. Em uma piscina. 
Tentei não sentir como era roubar o boné dele e usar, como ela estava fazendo naquela foto. 

Eu não posso me importar, fiz questão de repetir isso mentalmente. Mas eu o fiz. Desliguei o notebook em uma porrada só. Dormi chorando e sonhei com ele.
Acordei na manhã seguinte chorando. 

Abri a tela do notebook e voltei exatamente de onde tinha parado. Eu li as postagens como se pudesse claramente ouvir a voz dele. Eu poderia imaginar ele rindo da própria piada antes de tê-la escrito. 

E 6 meses depois do término, temos lá uma nova foto com aquela garota sorridente: 'Feliz 6 meses de namoro, meu amor'. Sim, foi o ápice de tudo. Meu estômago revirou e comecei a imaginar se isso já estava acontecendo quando tudo acabou. 

Continuei descendo a página, vendo suas fotos juntos, realizei que ele tinha realmente ido adiante. Eu não conseguia entender como ele poderia ter se apaixonado por outra pessoa tão rápido.  Nesse momento, eu já não entendia mais o que era amor, ou como o amor poderia ser algo sentido por um lado apenas. Eu não conseguia entender como ele poderia ter dito coisas que me dizia, ou tê-la levado a lugares que nunca tinha me levado.

No estado que eu estava, senti pena dela. Essa pobre garota está apaixonada por um cara que mal tinha terminado o relacionamento anterior e já estava em um novo. É engraçado como podemos sentir menos quando achamos certas coisas cômicas.

A internet é uma coisa cômica também, se você sabe como usá-la a seu favor. Descobri muita coisa sobre ela. A internet me mostrou que ela era bonita, inteligente e rica -bem mais rica do que eu imaginaria ser algum dia. Olhei a foto do perfil dela e voltei para o meu, pra dar uma olhada no meu exterior e sim, julgar. Bem, nós não temos nada em comum. Nadinha mesmo. 

Mais alguns meses passaram e eu observei eles se marcando em fotos. Vi ele em uma foto em que estava com a camiseta que eu tinha dado de dia dos namorados, despretensiosamente abraçando-a. 

Comecei a lembrar de todos os surtos paranoicos com a vida que ele tinha. Todos os traumas que revelou pra mim e eu tentava acalmá-lo. Aparentemente ele não pensava mais naquilo tudo com a quantidade de alcool que vinha ingerindo - e postando com sua nova garota. 

Consegui parar de olhar por diversas vezes, semanas e aí, sempre que precisava de uma porrada na cara ao me sentir triste, volta a visitar seu perfil. Um tipo de tortura.

Eu continuo querendo conhecer a Finlândia, a Bélgica e a Irlanda, por um ano ou dois. Nada mudou. Conheci alguns caras que me fizeram bem por um dia, dois.

Não me sentia como uma stalker, mais como uma torturadora mental. Realizei que isso não era legal. 
Continuar olhando o perfil dele tornou-se um tipo de tortura mental que eu finalmente consegui me livrar.

Passaram-se semanas, meses e nunca mais voltei a visitá-lo. Nem em sonhos. Comecei a me ocupar com serviço voluntário, com o trabalho e com planos de escape para Finlândia, Bélgica e Irlanda por um ano ou dois. 

Percebi que toda aquela tortura valeu a pena por lembrar quem eu realmente sou, no que acredito e nos reais sentimentos. Não consigo mais me relacionar com pessoas vazias. Eu fujo de um Eu te amo no primeiro encontro, como o diabo da cruz. Eu fujo de planos mirabolantes a dois, em apenas um mês saindo com um novo cara. Não por medo e trauma mas por ter certeza que em tão pouco tempo não podemos conhecer as pessoas e senti-las

You Might Also Like

8 comentários

  1. já passei por uma situação parecida há uns anos e foi horrível. "Stalkar" é a pior coisa que podemos fazer. Prefiro ficar na ignorância, mesmo que o sentimento vá desvanecendo!

    Isa,
    http://isamirtilo.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  2. Olá Bela!!
    Tudo faz parte de um aprendizado...pense como um livramento, né? Afinal de contas, seus sonhos são muito mais importantes do que um amor mal resolvido!! Às vezes a vida se encarrega de nos livrar de problemas futuros, eu acredito muito nisso!
    Beijos!!! =)

    ResponderExcluir
  3. As vezes passamos por coisas que julgamos como castigo, pelo menos no meu ponto de vista, claro. Mas nos fazer crescer e amadurecer. E que em um futuro proximo ou distante possamos saber o que fazer. :D
    Beijão
    Jardim de primavera

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Talvez com um 'castigo' seja a melhor forma de ver a verdade.

      Excluir
  4. Não conheço alguém que nunca visitou perfil alheio depois de um termino ....Mas é assim, as vezes como um levanta daí...ele ta feliz e vc vai ficar aí chorando.....
    Beijos.
    Blog GuriasGata

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita!
Sempre respondo os comentários, visito os blogs de volta e lá, mando novamente a resposta do que foi dito aqui.

Siga também | FB Page A Bela, não a Fera|